terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Prefeito de Lajedo do Tabocal reduz salário de comissionados em 50% para cortar gastos


Diante da crise financeira que afeta os municípios, gerada pela queda de receitas, o prefeito de Lajedo do Tabocal, Adalício Almeida (PDT), disse em entrevista ao Blog Marcos Frahm ter tomado medidas enérgicas para reduzir as despesas públicas em um cenário considerado pelo alcaide como de “incertezas”, em função da queda no repasse do Fundo de Participação dos Municípios –FPM as prefeituras. O pedetista, popularmente conhecido por Licinho, resolveu reduzir o valor do subsídio do pessoal que exerce cargo comissionado na Prefeitura de Lajedo. Ele afirmou que reuniu-se com os chamados cargos de confiança, secretários e outros, tendo apresentado-os a situação financeira de Lajedo e, devido às circunstâncias, foi decretado à redução nos gastos. ”Nós convidamos todos eles em uma reunião, conversamos com eles sobre a situação do município, que sofre com cortes drásticos do FPM e resolvemos tomar essa medida, porque com mais uma queda no Fundo de Participação dos Municípios e os problemas na economia do país precisamos  evitar as despesas com os serviço. Peço a compreensão de todos os secretários e, principalmente, paciência”, apela o gestor, que descarta débito no se governo. ”A prefeitura de Lajedo não deve nada a ninguém, não tem débito com fornecedores e nem com servidores. Graças a Deus, entramos em 2015 sem dever, mas fechamos 2014 com muitas dificuldades com essas quedas nos repasses. Esperamos que a nossa presidente possa analisar melhor a situação dos municípios, para que as prefeituras não permaneçam sendo tão penalizadas”, lamenta Licinho, alegando que a queda nas principais receitas públicas, o aumento significativo nas despesas com os serviços públicos prestados na cidade e a necessidade de manter a regularidade dos pagamentos foram fatores determinantes para a Prefeitura de Lajedo do Tabocal reduzir os gastos. Adalício Almeida baixou o Decreto contendo algumas medidas de contenção das despesas municipais, entre elas: a redução do valor do subsídio dos secretários municipais, no percentual de cerca de 50%, dentro do prazo de três meses, janeiro, fevereiro e março de 2015.