sábado, 2 de setembro de 2017

Wally Salomão homenageado em Jequié


O Museu Histórico de Jequié realiza programa em homenagem ao escritor, poeta e letrista de músicas Waly Salomão, com exposição aberta e gratuita durante todo o mês de setembro. A mostra conta a trajetória de vida do artista, que nasceu na cidade do sudoeste baiano em 1943 e morreu no Rio de Janeiro em 2003.
Nesta sexta-feira, 1º, às 18h, está agendado um show na frente do museu, abrindo a série de eventos, com apresentações de músicas do jequiense famoso, muitas gravadas por artistas como Gal Costa, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Lulu Santos, João Bosco, Zeca Baleiro e O Rappa. Entre as mais conhecidas estão Vapor Barato e Assaltaram a Gramática.
Segundo o representante do Museu de Jequié, museólogo Antônio Varjão, a homenagem a Waly é "merecida". Varjão destaca a importância da "valorização da nossa cultura". Para ele, "os jovens da cidade precisam conhecer mais a obra desse baiano nascido em Jequié”.
O homenageado ganhou o Prêmio Jabuti (1997), considerado o mais importante da cena literária brasileira, com o livro Algaravias. Foi graduado em direito e teatro pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) e participou do movimento Tropicalista na década de 1960.